Brasília – A licitação do pacote de sete rodovias federais, segundo a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, somente será feita após uma revisão da taxa de retorno das concessionárias. A decisão já tinha sido anunciada pelo governo federal e foi enfatizada nesta terça-feira (13) em debate com os ministros no Congresso Nacional.

"Com os juros caindo do jeito que estão, não há justificativa para que a taxa de retorno seja mantida em 26%", afirmou a ministra. Ao todo, o governo pretende licitar 2.601 quilômetros de rodovias federais que devem gerar investimentos de R$ 3,8 bilhões.

Entre os editais em estudo, está a concessão de lotes da rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte, e a rodovia Régis Bittencourt, entre São Paulo a Curitiba.