Surpresa geral no primeiro acampamento senegalês do Rally Dakar. Jornalistas e organização não acreditam na notícia que chegou agora cedo pelos alto-falantes em Tambacounda: o espanhol Marc Coma, atual campeão do Dakar, líder da prova desde a quarta etapa e apontado por 10 entre 10 concorrentes e jornalistas como o campeão certo dessa edição, sofreu um acidente que o tirou da prova. A queda ocorreu na altura do 57 km da especial de hoje, que liga Kayes, no Mali, a Tambacounda, no Senegal. Pouco antes, Coma havia se perdido. Quando tentava voltar para a trilha do rally, houve o acidente. "Na verdade foram duas quedas. Marc não se lembra ao certo onde bateu na primeira vez, talvez numa raiz", explica Jordi Arcarons, chefe da equipe KTM, que acaba de falar com o piloto. "Ele se levantou e fez de tudo para continuar na prova, mas estava tonto, bateu a cabeça, acabou caindo uma segunda vez e então não conseguiu prosseguir".

Ainda não foi divulgada nenhuma informação médica oficial, nem Arcaron quis entrar nesses detalhes, mas o chefe da equipe assegurou que o piloto não sofreu nada grave. "Ele está consciente, conversando, acredito que esteja bem, não sofreu nada serio", disse. Coma será levado ainda hoje para Dakar, onde fará exames médicos complementares.

Com a saída de Coma, o francês Cyril Despres assume a liderança do Rally Dakar a apenas duas etapas do final. Até ontem, a diferença entre Come e Despres era de quase 1 hora, e ambos já haviam reduzido seu ritmo na corrida. Agora, a briga fica entre Despres e o também francês David Casteu, terceiro colocado: 35 minutos os separam agora.

O acidente ocorre num momento em que boa parte dos competidores já se sentem mais relaxados, próximos ao destino final, e mostra que definitivamente qualquer bobeira pode ser fatal no rally mais perigoso e difícil do mundo. Não bastasse, outro favorito, o espanhol Isidre Esteve Pujol, vencedor de duas etapas e que estava na sexta colocação da tabela, também abandonou a prova por conta de uma queda. Pujol não teve ferimentos, mas sua moto ficou inutilizada. Como o piloto não se machucou com gravidade, ainda não chegou ao acampamento, pois virá de carro, e não de helicóptero.