A Câmara dos Deputados só deverá votar as 21 Medidas Provisórias e os dois projetos de lei que estão trancando a pautam, a partir da próxima terça-feira. A previsão foi feita pelo líder do PSB, deputado Renato Casagrande (ES). Segundo o deputado, parlamentares de partidos da base aliada só aceitarão votar a partir do empenho das emendas parlamentares, que “vai ser feito até o início da semana que vem”.

Embora o seu partido não esteja em obstrução, Casagrande disse que o PSB e outros partidos da base aliada reclamam mudanças no relacionamento com o governo. “Nós queremos que o governo mude de atitude na relação com o Congresso. Dentro da base tem diferenças com relação ao comportamento do governo, mas tem igualdade com relação à necessidade do governo mudar de atitude e de comportamento na relação política com o Congresso”, disse o líder.

O líder do PSB disse que o governo precisa mudar de atitude para rearrumar a base aliada, que sofreu um desgaste natural pelo “descumprimento de parte de acordos de 2003 e de 2004”. Ele afirmou, ainda, que no caso do PMDB, partido da base que está em obstrução, há o problema da emenda da reeleição das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado.

O deputado acredita que o acordo firmado ontem entre o governo e lideranças políticas para a realização do empenho e a liberação dos recursos das emendas parlamentares será fundamental para que os deputados votem as matérias na Câmara.