"Quais são minhas primeiras impressões sobre a Bahia? Mulheres. Grandes ondas. Areia no pé. E a melhor comida do mundo", disse Bono Vox, por volta de 1 hora de ontem (22), saindo do jantar de boas-vindas oferecido à banda U2 na casa de Gilberto Gil, em Salvador. O que teria impressionado tanto o irlandês na mesa farta da casa do ministro? Gil responde: "Comeram de tudo: carne-de-sol, moqueca de camarão, peixe à moda de Ilhéus, um robalo. Acarajé não, não fizemos."

A presença do U2 alvoroçou a vizinhança da casa do ministro no Horto Florestal, num condomínio fechado de classe média alta. Uma dúzia de adolescentes passou a noite esperando Bono. "Se vocês não gritarem, ele fala com todos", disse um segurança. Dito e feito. O cantor posou para fotos, abraçou, beijou e se divertiu com os fãs privilegiados e incrédulos com o "mole" que tiveram.

Apenas Bono, The Edge e Larry Mullen Jr. foram à casa de Gil. O baixista Adam Clayton não apareceu. Bono está hospedado num condomínio fechado numa praia a meia hora de Salvador, no litoral norte. Os outros estão em um hotel no bairro Rio Vermelho. O PIB da música baiana foi convocado para recepcionar o grupo irlandês: Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Carlinhos Brown e Margareth Menezes. O prefeito de Salvador, João Henrique também foi à recepção. E Orlando Morais, marido de Glória Pires que saiu se esquivando do jantar – ninguém o reconheceu mesmo.

"É todo mundo legal, todo mundo gente fina", elogiou Ivete, lambendo um pote de doce que, brincou com os fãs, o próprio Bono lhe deu. "É um exemplo de artista. Usa a representatividade que tem para falar de coisas urgentes, que são reais. É bom ver que gente como ele, a (Angelina) Jolie, o Brad Pitt, estão empenhados em mudar as coisas. Bono não faz demagogia, fala de coisas profundas", disse Margareth Menezes.

Quincy Jones

De turbante branco, Carlinhos Brown saiu de fininho, mas não sem antes deixar seu cartão de visitas. Ele, o improvisador-mór da Bahia, intimou Bono e seus colegas de banda e também o arranjador e maestro Quincy Jones, de 73 anos, a visitarem seu projeto sociomusical do Candeal e fazerem um som hoje mesmo. Quincy Jones foi produtor de discos fundamentais de gente como Miles Davis, Michael Jackson, Frank Sinatra, Count Basie, Aretha Franklin, Ray Charles, Peggy Lee, só para citar alguns.

Gil contou como conheceu Bono e como surgiu o convite para que ele visitasse a Bahia. "Em julho de 2005 eu estava comendo num restaurante em Eze (cidade turística na Côte D?Azur, na França)", lembrou. "Alguém me disse: ?Olha, o Bono tá ali.? Eu fui lá e me apresentei, ele se lembrou de mim. ?Eu sei, você é o ministro da Cultura do Brasil. Estive com você em Davos?." Quando ficou acertado que o U2 faria shows no Brasil, a mulher de Gil, Flora, o lembrou do encontro e ele falou novamente com Bono, convidando-o para conhecer a Bahia.

"Há uns dez dias, ele já estava na turnê, logo depois do Grammy, e aí chegou o pessoal do staff dele para acertar tudo. Disseram: Bono está chegando e quer ir à Bahia". Hoje à noite Bono visita o camarote Expresso 2222, de Flora Gil, que estará fechado apenas para a banda, e assistirá a desfile de blocos.

Amanhã (25) ele vai assistir ao carnaval de Salvador e todos esperam que saia no trio elétrico de Gil. Mas o ministro aconselha a irem devagar com o andor. "Não quero apresentar a fatura para ele. Imagine, vir aqui para faturar o Bono. Ele vai se ele quiser, se estiver disposto."