O líderes da oposição, José Agripino (PFL-RN) e Arthur Virgílio (PSDB-AM), afirmaram há pouco, da tribuna, que seus partidos não torcem pelo impeachment do presidente Lula, mas que não terão outra saída caso o presidente continue a mentir e a "engabelar" a Nação. Segundo Agripino, Lula não pode mais dizer que desconhecia a corrupção existente na máquina pública e, portanto, deve dizer com urgência o que pretende fazer daqui para a frente.

Já Virgílio defendeu que o presidente, no discurso que deve fazer logo mais, dê nome aos bois dos que corromperam a máquina pública e "pare de mentir tanto à Nação". "O PSDB não quer o impeachment, mas não acobertará a corrupção do presidente Lula. O presidente foi ao longo do seu governo incompetente e mostrou que tinha apenas um projeto de poder e não de governo", defendeu.