Foto: José Cruz

Líderes do PFL, PSDB, PPS e PV decidiram protocolar, nesta segunda-feira, uma carta na Presidência da Câmara pedindo o afastamento do presidente da Casa, deputado Severino Cavalcanti (PP-PE).

Os parlamentares querem que Cavalcanti se afaste até a conclusão da investigação sobre as denúncias de que ele teria recebido propina da empresa Buani&Paulucci, que administra um dos restaurantes da Câmara. Segundo o líder da minoria na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), Severino já afirmou que não pretende se afastar.

Os deputados querem apresentar um processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética contra Severino. "Para nós, não é compatível que seja ao mesmo tempo réu e juiz do processo investigatório. Se ele não se afastar, segue processo que deve conduzir tomada de posição", disse o deputado Raul Jungmann (PPS-PE). Ele disse ainda que os líderes querem entrar em contato com PSB, PTB, PCdoB para discutir o assunto.

Os líderes montaram também uma comissão independente para acompanhar a sindicância da Câmara. Fazem parte do grupo: José Carlos Aleluia (PFL-BA), Ronaldo Caiado (PFL-GO), Fernando Gabeira (PV-RJ) e Ronaldo Dimas (PSDB-TO). Em respostas à denúncia, Severino divulgou ontem uma nota em que afirma já ter determinado ao diretor-geral da Casa, Sérgio Sampaio, a criação de uma comissão de sindicância para apurar os fatos.

Severino também pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Polícia Federal que investigem as denúncias.