O presidente da Associação Brasileira de Turismo Rural (Abratur), Carlos Roberto Solera, que esteve hoje (10) em Londrina, afirmou que o município está definitivamente na rota do turismo rural. Ele citou como exemplos as medidas que vêm sendo tomadas pela prefeitura, como a construção do portal nas proximidades do distrito da Warta e o projeto de lei criando o Fundo Municipal de Turismo (Fumtor), que será enviado pelo prefeito Nedson Micheleti (PT) à Câmara de Vereadores ainda esta semana.

Solera participou à tarde de uma reunião no auditório da Companhia de Desenvolvimento de Londrina (Codel), com secretários municipais, proprietários rurais e donos de estabelecimentos que já exploram o turismo rural no município. Durante o encontro foram repassadas aos presentes as opções de atrações turísticas disponíveis no segmento, as medidas necessárias para infra-estrutura e opções de linhas de crédito disponíveis ao seu incremento.

Antes da reunião foram visitados alguns pontos rurais do município. “É necessário dotar as propriedades com acomodações confortáveis, mantendo as características originais. Ser rústico não significa ser desconfortável”, disse Solera. A visita a Londrina é fruto de parceria entre a Codel, Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento e do escritório local do Paraná Turismo.

Segundo o presidente da Abratur, mais de 10 mil propriedades em 19 Estados brasileiros estão hoje envolvidas no turismo rural, proporcionando mais de 100 mil empregos diretos. O faturamento do setor de julho do ano passado a junho deste ano foi calculado em R$ 1,6 bilhão. Para ele o fato do Paraná possuir mais de 90% de seus municípios com menos de 50 mil habitantes (são 356 dos 399 municípios segundo dados do IBGE) com predominância da atividade agrícola, o turismo rural tem condições de alavancar o crescimento econômico e a geração de empregos. Hoje os Estados que mais exploram a atividade são Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A opção do norte

Segundo o presidente da Codel, Octávio Cesário Pereira Neto, o município de Londrina deve ser tornar o grande polo de turismo rural no Estado. Hoje o turismo no Paraná está centrado em Foz do Iguaçu, Curitiba e região litorânea. Para Octávio Cesário a estrutura hoje existente em algumas regiões rurais do município, como Heimtal, Warta, Espírito Santo, Guaravera e a vizinha Tamarana, entre outros, pode ser melhorada para atrair o público regional e até de outros Estados. “Com o encontro de hoje estamos criando mais uma oportunidade para orientar técnicamente os interessados”, concluiu ele.

O portal a ser instalado próximo aos restaurantes alemães da Warta vai conter informações turísticas de Londrina e região e venda de alimentos e produtos típicos. O portal servirá também como ponto de estágio para alunos dos cursos de graduação na área de turismo, já disponíveis em duas universidades londrinenses.

Os principais atrativos para o turismo rural têm sido as fontes de água, gastronomia típica, como a existente em Londrina, e até opções de aventura, como cavalgadas e escaladas. Dados da Abratur revelam que nos municípios que adotaram o turismo rural a ocupação de mão-de-obra é 28% exclusivamente familiar e 69% local e regional, fortalecendo o giro econômico.