O aumento de 18% para 50% no imposto cobrado pelo governo boliviano sobre a produção de petróleo, definido em maio do ano passado, levou à queda de quase 50% no lucro da Petrobras naquele país entre o primeiro trimestre de 2005 e o primeiro trimestre deste ano. Nesse período, o lucro passou de US$ 24 milhões para US$ 13 milhões.

A informação é do diretor financeiro da estatal brasileira, Almir Barbassa, que preferiu não fazer previsões sobre a possibilidade de uma nova queda nos lucros decorrente do aumento de impostos, que agora passará a ser de 82%.

Segundo a gerente de contabilidade da Petrobras, Marizângela Tizzato, a situação ainda está indefinida para que se possam calcular possíveis perdas. "Não há dados consolidados e a Petrobras não faz previsões sobre hipóteses. O quadro ainda é indefinido, há varias possibilidades em aberto. Não dá ainda para fazer cálculos", disse.

Barbassa disse que a expectativa é que as negociações do Brasil com a Bolívia sejam bem sucedidas e que se cheque a um bom termo sobre a questão dos preços do gás. "As negociações continuam e nós estamos contando com a solução do conflito e que chegaremos a um acordo que garanta o suprimento de gás para o Brasil".