O chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, acusou hoje a oposição de conduzir um esforço "artificial" e de "motivação eleitoral" no caso do ministro da Fazenda, Antonio Palocci.

Sem citar, diretamente, os partidos que poderiam ser incluídos nesta ação, Dulci atacou também a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, que, segundo ele, seria usada como "palanque eleitoral contra o governo".

"As oposições estão muito preocupadas com o fortalecimento do presidente Lula", disse, em referência ao crescimento registrado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas pesquisas eleitorais. "Há um esforço artificial de oposição com claro interesse eleitoral", acrescentou.

Destacando que a única coisa que a CPI não fez até agora foi apurar os bingos, ele respondeu aos ataques dos adversários políticos, afirmando que nada disso desviará o foco do governo de questões importantes para o País. "Nenhuma iniciativa puramente eleitoral, eleitoreira, vai desviar o presidente Lula do que tem de ser feito no País", afirmou.