Luizão, Giovanni e Cláudio Pitbull pertencem ao passado do Santos. Hoje o clube fechou acordo para a rescisão contratual dos três atletas dispensados no sábado. As bases não foram informadas, mas o clube conseguiu uma redução nos valores estipulados para o caso de quebra de contrato. Assim, os três estão liberados para assinar contrato com outros clubes. Ainda hoje, o Santos dispensou mais dois atletas: o zagueiro Mateus, das categorias de base, e o lateral Alexandre, que foi devolvido ao Marília.

Com isso, o número de jogadores do elenco continua diminuindo, embora não tenha ainda chegado ao número pretendido por Luxemburgo. Como outros atletas poderão chegar – entre eles Deivid, Jadson e André Dias – as dispensas deverão prosseguir. No caso dos jogadores mais caros e que não interessam ao treinador, o clube está reduzindo os custos da folha de pagamento, avaliada antes das dispensas de Giovanni, Luizão, Pitbull e Basílio em R$ 3 milhões mensais e conseguindo recursos para as novas contratações.

Hoje, Vanderlei Luxemburgo comandou o primeiro coletivo da semana e manteve o time que atuou domingo passado contra o Mogi, com Jonas e Geílson no ataque e Luciano Henrique na meia. Com isso, o meia Rodrigo Tabata e o centroavante Reinaldo deverão entrar durante a partida de quinta-feira contra o Paulista, em Jundiaí.

CastelhanoA

O castelhano é a língua oficial dos marcadores santistas, que tem dois estrangeiros no setor: o zagueiro paraguaio Manzur e o volante chileno Maldonado. Luís Alberto não estranhou a língua dos companheiros, pois jogou três anos na Espanha e conversa naturalmente com os dois em espanhol. "Eu entendo tudo o que eles falam e não há problemas de comunicação", disse o zagueiro brasileiro.

Luís Alberto e Manzur têm sido elogiado por terem dado consistência à defesa santista, setor que apresentou muitos problemas no ano passado.

Luís Alberto está satisfeito com o desempenho da nova dupla. "Treinamos menos de 30 minutos no coletivo antes desses dois jogos e deu tudo certo, o entendimento é muito bom", comentou.

O zagueiro entende que a tendência é melhorar o entrosamento a cada partida. "O Manzur é um jogador que tem também um espírito muito bom de vendedor. Ele mostou nessas duas partidas o potencial que tem, a vontade de jogar e isso é importante". Luís Alberto acredita no crescimento da dupla durante o ano. "Se trabalharmos com seriedade e atenção, vamos crescer muito e formar uma boa dupla".

Realista, ele vê a reformulação do elenco e comenta que "nada está seguro ainda", sabe que precisa "fazer o melhor para continuar no posto" e, principalmente, que "se acontecerem falhas, as críticas virão".