Acolher uma criança, receber e ler cartas, trocar sorrisos com admiradores, inspecionar obras, defender o governo, reclamar da oposição e exibir bom humor, sem falar de campanha política, em qualquer momento, foram algumas das atividades do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, hoje, em pouco menos de duas horas, em São Francisco do Sul (SC). Enquanto Lula se limitou aos gestos, em meio à platéia de cerca de 400 pessoas, um grupo de cerca de cem simpatizantes, ligado à líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), e ao deputado Carlito Merss (PT-SC), que estavam no palco, encarregou-se de portar bandeiras e cantar refrões como "Vai ser novamente, o nosso presidente" ou "É Lula outra vez".

O bom humor Lula demonstrou logo ao desembarcar, ao escapar da pergunta de um jornalista. O presidente sorriu e correu por três metros para agarrar o braço do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e dizer: "Estou aqui conversando com ele." Depois, foi simpático ao público, mas esteve perto de constranger o prefeito de São Francisco do Sul, Odilon Oliveira (PMDB), quando preferiu trocar algumas palavras com Ideli e ler uma carta enviada ao palco durante o discurso do anfitrião. Quando Luiz Henrique começou a fazer as saudações, Lula lia outros bilhetes que chegaram às mãos.

Durante a assinatura de um convênio entre representantes da Caixa Econômica Federal (CEF) e da prefeitura de São Bento do Sul (SC), ele chamou o menino Júlio Rodrigues Vieira, de 10 anos ao palco, para trocar abraços e conceder um autógrafo na bandeira do PT. Conquistado o troféu, Júlio, filho do professor de matemática Adelson Vieira e da modelista Maria Francisca da Costa, petistas, entrou no clima e fez uma análise política das críticas que a administração federal recebe. "É tudo mentira da oposição", afirmou.

No discurso, como de costume, o presidente recorreu a algumas comparações. Ao elogiar a ampliação e reforma de portos e aeroportos, misturou visitantes a aves. Segundo Lula, os estrangeiros poderão levar uma boa imagem do País, se encontrarem bons aeroportos e cidadãos de bem com a vida. "Da mesma forma que um passarinho, quando nasce, adota como pai e mãe a primeira cara que ele vê." Depois, disse que não sabia o que era o berço de atracação de navios, que os interlocutores citavam. "Eu pensei que era coisa pra criança dormir", revelou, arrancando risos da platéia, sobre a armação sobre a qual se assenta o navio. Como o acesso ao porto é isolado e restrito, a visita de Lula não se transformou num ato de grande apelo popular.

Além dos militantes, a cerimônia alusiva às obras de recuperação e modernização do porto foi assistida por operários da construção, militares e funcionários. O Poder Executivo federal investe R$ 43,3 milhões em reforço de dois berços de atracação, derrocamento de um rochedo submerso, instalações sanitárias, viaduto e outras obras. O governo de Santa Catarina operador do porto, entra com mais R$ 12,6 milhões. São Francisco do Sul é o quinto maior porto brasileiro em movimentação de contêineres. A movimentação total de cargas chegou a 8 milhões de toneladas em 2005.