"Temos consciência de que a BR-101 é uma alavanca extraordinária para o desenvolvimento do estado do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, para nossa integração com a Argentina, para nossa integração com os países da América do Sul e, mais ainda, para que a gente não veja pessoas estendidas ao longo das estradas, mortas por acidentes de carro ou por atropelamento". A afirmação é do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que assinou nesta sexta-feira, em Torres (RS), a ordem de serviço para o início das obras de duplicação da BR-101 Sul.

Lula lembrou que há mais dez anos vê em Santa Catarina ou no Rio Grande do Sul pessoas se manifestando com placas pedindo a melhoria da rodovia. "E nós vamos ter que colocar essas máquinas para trabalhar porque nós precisamos da estrada. Precisamos gerar empregos, nós precisamos gerar desenvolvimento", disse o presidente. Segundo Lula, serão investidos R$ 500 milhões somente no próximo ano.

O presidente afirmou ainda que pretende recuperar onze portos e que o ministério dos Transportes terá até 2006 R$ 460 milhões para financias as obras. Ao final do discurso, o presidente disse que irá anunciar no começo de 2005 a duplicação da rodovia BR-101 Nordeste. Lula lembrou do tempo em que era deputado constituinte e que fazia críticas à rodovia Norte-Sul. " Se eu como oposição não conseguia enxergar a prioridade da rodovia em 1987, hoje eu tenho clareza que ela é imprescindível para o desenvolvimento da região Centro-Oeste e de uma parte do Nordeste brasileiro".