O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acaba de chegar ao Arsenal de Marinha do
Rio de Janeiro, onde participa da solenidade de lançamento do submarino Tikuna,
o quarto construído no país e o quinto de um acordo com o governo alemão – o
primeiro foi construído naquele país. Lula está acompanhado pelo ministro da
Defesa, o vice-presidente José Alencar, e pelo comandante da Marinha, Roberto de
Guimarães Carvalho.

O Tikuna começou a ser construído em 1996, gerando na
cerca de 2,1 mil empregos diretos e indiretos, utilizando mão de obra do Arsenal
de Marinha e terceirizada. Segundo informações da Assessoria de Imprensa do
Arsenal de Marinha, o submarino só estará pronto para operar em dezembro. A
embarcação será utilizada em patrulha de segurança na Amazônia Azul, uma área de
4,5 mil quilômetros quadrados da costa brasileiro).

Dentre os países do
Hemisfério Sul que detém a capacidade tecnológica para construir submarinos,
somente o Brasil mantém atualmente um programa de em andamento. A tecnologia foi
adquirida nos últimos 26 anos. No mundo, apenas 15 nações detêm essa tecnologia.
O Tikuna é uma obra adaptada do projeto alemão IKL-209, com diversas inovações
tecnológicas concebidas por engenheiros brasileiros, especialmente a geração de
energia, o sistema de direção de tiro e nos sensores. Além do Tikuna, foram
construídos no Brasil os submarinos Tamoio, Timbira e Tapajós.