O candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cobrou hoje do presidente Fernando Henrique Cardoso medidas “imediatas” para conter a turbulência no mercado financeiro. Segundo o petista, “não é possível esperar até que o próximo presidente tome posse em 1º de janeiro de 2003”.

Lula e FHC se reuniram no Palácio do Planalto. O presidente reservou esta segunda-feira para conversar com os principais candidatos que disputam a sua sucessão _antes de Lula, participou do encontro Ciro Gomes (PPS); agora, o encontro é com Anthony Garotinho (PSB) e, em seguida, com José Serra (PSDB). O objetivo dos encontros é passar informações sobre o acordo firmado com o Fundo Monetário Internacional (FMI), tranquilizar o mercado e evitar o agravamento da crise econômica.

Durante a conversa, Lula entregou a Fernando Henrique Cardoso uma carta na qual reafirmou sua disposição de “honrar os contratos e controlar a inflação”. Foi uma referência do petista ao acordo firmado entre o governo e o FMI.

O candidato também defendeu como prioridade imediata a busca por alternativas capazes de impedir que as reservas cambiais “sejam consumidas” pela especulação financeira. Ele lembrou que o acordo com o FMI não prevê aporte significativo de recursos no curto prazo.

Na conversa com FHC, Lula também buscou adotar tom conciliador. “Estou consciente da gravidade da situação, dispostos a dialogar com todos os segmentos da sociedade de modo a evitar que ela traga mais aflição ao povo brasileiro”, disse ele após o encontro. (Correio Web)