Ao discursar na reunião do Foro São Paulo, reunião de partidos e movimentos de esquerda da América Latina, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou o atual momento político do país. "Na política, o que está acontecendo eu encaro como uma certa turbulência, mas que só existe efetivamente num processo que vai se consolidando fortemente da democracia. Tenho consciência de uma coisa: seria impensável que eu fosse governar esse país quatro anos e que não tivesse problemas", disse Lula.

Lula voltou a dizer que o governo será implacável no combate à corrupção. "Seremos implacáveis com adversários e com aliados que acharem que podem continuar se utilizando do dinheiro público para ficar ricos", ressaltou. Na seqüência, o presidente disse que não deixará de trabalhar na consolidação do processo democrático brasileiro. "Não permitiremos retrocesso", afirmou. "Alguns antes de nós morreram para que nós chegássemos onde chegamos. Temos consciência do sacrifício que se fez no Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Peru, Colômbia, em todos os países para que o povo pudesse sentir o gosto da coisa chamada democracia", explicou.

O presidente participou de um ato político em celebração do 15º aniversário do Foro São Paulo. Na abertura, foi transmitido um documentário com imagens de todas as edições do encontro. Entre elas, o discurso do próprio presidente Lula em 1990, quando o PT convocou os partidos da América Latina para discutir o cenário internacional depois da queda do Muro de Berlim, além de propostas alternativas e democráticas ao neoliberalismo.