O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, em discurso no National Press Club, em Washington  confirmou hoje a senadora Marina Silva (PT-AC) como ministra do Meio Ambiente.

Foi o primeiro nome oficialmente anunciado por Lula para o ministério. “O primeiro sinal que eu dei a todo o mundo de que a Amazônia será tratada diferentemente no meu governo foi que escolhi uma companheira que a imprensa brasileira já cansou de citar o nome. Mas, certamente, a companheira Marina, com quem vou conversar nesses dias, vai tomar conta da política ambiental no meu governo”, afirmou.

Em seguida, ainda durante a fala, ele listou uma série de elogios a Marina, lembrando ser ela do mesmo Estado do sindicalista Chico Mendes, afirmando que a senadora do PT do Acre sempre foi uma “batalhadora” e que se alfabetizou somente aos 16 anos.

Dizendo que Marina foi seringueira, Lula afirmou que ela passou parte da vida brigando pela preservação ambiental. “Estou convicto de que ela vai promover uma política de desenvolvimento sustentado para a Amazônia, que combina ao mesmo tempo a necessidade de preservação ambiental com a criação de empregos para as mais de 20 milhões de pessoas que moram na região. Precisamos entender que a maior riqueza da Amazônia, que é a sua biodiversidade, é a grande fonte de riqueza para o povo que mora na região”, afirmou.

De acordo com o presidente eleito, a Amazônia precisa de tratamento especial não apenas do governo brasileiro, mas também de todos os países que querem contribuir para a conservação da natureza.