O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu ontem o sexo com camisinha como forma de combater a gravidez na adolescência e o avanço da aids entre as mulheres. Ele citou a Igreja no discurso e afirmou que o Dia Internacional da Mulher deve ser o "dia de combate à hipocrisia que está estabelecida na cabeça de todos nós".

Na cerimônia em comemoração à data, na Cidade do Samba, na zona portuária do Rio, Lula disse que "sexo é uma coisa que quase todo mundo gosta e é uma necessidade orgânica, é uma necessidade da espécie humana e da espécie animal". E completou: "Preservativo tem que ser doado e ensinado como usar. Somente assim nós seremos um País livre da aids e de outras doenças infecciosas".

Por que é o dia da hipocrisia?, perguntou Lula. E respondeu: "Hipocrisia porque muitas vezes nós deixamos de debater os temas da forma verdadeira com que eles têm que ser debatidos, por puro preconceito, por pura… ‘Ah, mas minha mãe não gosta, meu pai não gosta, a Igreja não gosta, não sei quem não gosta’. Trinta por cento das meninas entre 15 e 17 anos que não estão freqüentando a escola é porque tiveram filho." Segundo o presidente, é grande o número de adolescentes grávidas porque no momento certo não houve a educação sexual. "Na hora em que a gente trata esses assuntos com certa hipocrisia e não temos coragem de discutir os temas como eles são, o resultado que colhemos é a gravidez precoce.