O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em seu programa semanal de rádio "Café com o Presidente" que, antes da crise política era quinzenal, afirmou que o País vive um momento muito bom na economia. "Apesar da turbulência política, a sociedade brasileira compreende que a economia precisa dar certo porque, dando certo a economia, vai dar mais certo ainda a vida dos 186 milhões de brasileiros. Nós estamos com a economia crescendo, segundo dados do IBGE, acima da expectativa do Banco Central", disse Lula.

O presidente destacou o crescimento industrial do País e o das linhas de crédito. "O crédito está crescendo e isso significa que o povo está podendo comprar mais. Nós tivemos um crescimento extraordinário na nossa balança comercial desde maio quando chegamos a US$ 9,8 bilhões. Depois, fomos a US$ 10 bilhões em junho, US$ 11 bilhões em julho, repetimos US$ 11,348 bilhões em agosto, numa demonstração de que valeu a pena a gente fazer todas as viagens que fizemos", assinalou.

Disse que suas viagens ao exterior deram certo e ressaltou o fato de "convencer os empresários brasileiros a viajarem e convidar mais empresários estrangeiros a viajar pelo Brasil, porque quando aumenta a relação comercial do Brasil, quando a gente vende mais lá fora, significa mais produção industrial, significa mais emprego, significa mais comércio, significa mais distribuição de renda".

A esses fatores ele atribuiu o crescimento da produção industrial, da balança comercial, da massa salarial, e o aumento do poder de compra do trabalhador. "Só para se ter uma idéia, o poder de compra do povo mais pobre também tem aumentado. Há um ano, o trabalhador precisava de 67% do salário mínimo para comprar uma cesta básica, hoje ele está comprando uma cesta básica por 54% do salário mínimo, o que é um ganho efetivo para o trabalhador brasileiro".