O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Rodrigo Collaço, defendeu, nesta segunda-feira, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja investigado no caso de existirem suspeitas de sua participação nas supostas irregularidades que provocaram a atual crise política.

"Se aparecerem elementos apontando para a participação, precisa haver investigação", afirmou. "Não vejo o presidente da República e nenhuma autoridade acima da lei", disse. "Precisamos resgatar os princípios de igualdade de todos perante a lei", acrescentou.

O presidente da AMB defendeu o prosseguimento das investigações e a eventual punição dos responsáveis pelas supostas irregularidades. Segundo ele, é preciso investigar e punir os culpados, independentemente do cargo que as pessoas ocupem.

Entidade que representa cerca de 15 mil juízes brasileiros, a AMB discutirá, na quarta-feira, a crise junto com integrantes do Ministério Público e com parlamentares da CPI dos Correios. Collaço avalia que a falta de ética é a grande responsável pela atual crise.

Ele concorda que são necessárias mudanças pontuais na legislação eleitoral, como aumentar a pena mínima para quem pratica o caixa dois das campanhas. Mas, segundo Collaço, não é verdade que a legislação eleitoral induziu a esse quadro. O presidente da AMB também disse que é necessário aparelhar a Justiça Eleitoral para que faça um controle maior das contas de campanha.