presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje, em seu programa semanal de rádio, que é preciso colaborar com os países pobres para diminuir a fome e a extrema pobreza no mundo e cumprir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Lula contou que na visita que fez à Guatemala, na semana passada, e durante o encontro na sede das Organizações das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque, falou sobre as experiências do Brasil no combate à fome. "O que estamos percebendo é que o número de famintos no mundo têm aumentado, apesar de quase 190 países determinarem que era possível diminuir a miséria nos próximos 15 anos. Agora, o que nós precisamos é constituir uma forma de ajudar os países bem pobres, aqueles que não têm condições mesmo de nada", afirmou.

O presidente destacou que o Brasil tem conseguido reduzir a fome por meio de programas sociais como o Bolsa Família, a concessão de microcrédito, a compra de leite e a compra dos produtos da agricultura familiar. Além disso, segundo Lula, os programa sociais são fontes de geração de renda. "No Brasil temos uma vantagem a mais porque estamos gerando uma média acima de 105 mil empregos novos por mês. Essa é a melhor forma de você combater a fome no mundo, é você fazer a economia crescer". E completou "tenho afirmado todos os dias, todas as horas, quando findar o meu mandato eu quero mostrar, não apenas ao povo brasileiro, mas quero mostrar ao mundo o que foi feito no Brasil para combater a fome".

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) são uma série de oito compromissos aprovados entre líderes de 189 países-membros das Nações Unidas em setembro de 2000. São eles: erradicar a extrema pobreza e a fome; atingir o ensino básico universal; promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde materna; combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças; garantir a sustentabilidade ambiental; e estabelecer parcerias para o desenvolvimento.