O presidente Luiz Inácio Lula da Silva embarca para a Venezuela às 17h30 deste domingo. Amanhã (14) em Caracas, capital do país, ele deve assinar acordos de cooperação com o governo venezuelano nas áreas de mineração, petróleo, energia e infra-estrutura. De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores, a viagem de Lula ao país tem como objetivo a construçao de uma aliança estratégica entre Brasil e Venezuela, que é vista pelo governo brasileiro como um ponto importante na integração comercial entre os dois países.

O assessor para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, informou que esses acordos foram negociados há algum tempo, mas só nos últimos 15 dias é que tudo ficou acertado para que fossem assinados nesta visita. "Esses acordos são de caráter estratégico com a Venezuela. Nós queremos fazer deles um paradigma para outros acordos na região", disse Marco Aurélio Garcia.

Acompanham Lula um grupo de executivos brasileiros representando empresas de médio e grande portes, entre as quais Vale do Rio Doce, Odebrecht, Embraer, Camargo Correa e Petrobrás. Segundo o Itamaraty, a comitiva empresarial tem como objetivo negociar e fechar acordos comerciais nas áreas de infra-estrutura, energia elétrica, exploração de petróleo e gás, siderurgia, telecomunicações, mineração, pesca, aeronáutica e agroindústria.

Depois da Venezuela, o presidente brasileiro segue para a Guiana e o Suriname. Lula desembarca na cidade de Georgetown, capital da Guiana, ainda na noite de segunda-feira(14). No dia seguinte, se reúne com o presidente Jagdeo. Na pauta do encontro, segundo o Itamaraty, a cooperação bilateral nas áreas de saúde, educação pesquisa agrícola e combate aos ilícitos transnacionais e outras questões da agenda regional e internacionail. Ainda em Georgetown, Lula deve fazer um discurso na sessão especial da Assembléia Nacional da Guiana. Também receberá as chaves da cidade em cerimônia na prefeitura local.

A última escala do presidente será em Paramaribo, capital do Suriname, onde chega na quarta-feira (16) para participar da abertura da 16ª Conferência de Chefes de Governo da Comunidade do Caribe (Caricom), bloco de cooperação econômica e política dos países do Caribe. Segundo o assessor para Assuntos Internacionais do governo, Marco Aurélio Garcia, a importância desta reunião para o Brasil, está no sentido de que o Caricom é uma organização que articula os países do Caribe e o presidente Lula aproveita a oportunidade também para retribuir a visita que o presidente surinamês fez ao Brasil.

Nas três visitas que serão realizadas até quarta-feira (16), Lula pretende buscar a adesão dos países caribenhos ao acordo de integração comercial entre Mercosul e Comunidade Andina. O acordo, assinado em outubro de 2004 e em vigor desde o dia 1º deste mês, é apontado pelo Itamaraty como um passo histórico e decisivo na conformação da chamada Comunidade Sul-americana de Nações.