O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quinta-feira (31) as mudanças de seu programa de governo para um possível segundo mandato. "Quem está no governo não inventa as coisas. Ele fala aquilo que está fazendo e propõe aquilo que pode fazer num mandato de quatro anos", respondeu, ao ser indagado sobre as diferenças entre o programa de governo de um candidato e o programa de alguém que já está no governo, em entrevista hoje à Rádio Guaíba de Porto Alegre.

"Eu estou tranqüilo com o programa, porque ele foi pragmático", disse Lula. "Além de termos cumprido o programa que fizemos em 2002, estamos com grandes projetos de desenvolvimento para 2007 a 2010". Lula enumerou vários setores que devem se desenvolver, em sua avaliação. Ele citou os projetos de biodiesel, de indústria naval, a refinaria de petróleo em Pernambuco, a Universidade do Pampa (RS) e a ferrovia Transnordestina, entre outros.

"Então, um programa de governo retrata isso. É uma fotografia do que é o País hoje e do que é o Brasil que nós queremos amanhã", disse Lula. Conforme o presidente, o programa apresenta o Brasil "possível de ser construído", já que em 2003, quando tomou posse ninguém tinha certeza sobre o que seria o futuro do País.