O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, leu hoje (7) mensagem de saudação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos participanes da 2ª Conferência Internacional sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural. Na mensagem, lida durante a sessão de abertura dos trabalhos, Lula afirma que não saúda os debatedores de forma protocolar: "Faço-o como aliado de uma causa".

Para Lula, o debate internacional sobre a reforma agrária é a retomada de uma "construção interrompida", em citação ao termo do economista brasileiro Celso Furtado. "Creio que as transformações em marcha na economia mundial recolocam a questão agrária como protagonista importante desse processo. O desafio desta conferência é injetar nervos e musculatura a essa aposta", diz o presidente, na mensagem.

Lula também destaca em seu texto questões como a importância do desenvolvimento rural para a questão energética (graças à ascensão dos biocombustíveis, como o álcool e o biodiesel) e a necessidade de encontrar uma fórmula ambientalmente sustentável para as atividades econômicas no campo.

Ontem, Lula também recebeu, do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Jacques Diouf, a medalha de ouro do Dia Mundial da Alimentação, em reconhecimento ao seu trabalho no combate à fome.

No ano passado, Lula já fora homenageado pela FAO com a Medalha Agrícola, a mais alta distinção oferecida pela entidade. Segundo informações da Secretaria de Imprensa da Presidência, o encontro de Diouf e Lula aconteceu pela manhã, na Base Aérea de Brasília (DF), e contou com a presença do assessor especial José Graziano. Esta semana, Graziano passa a ocupar a direção da FAO para América Latina e Caribe.

A 2ª Conferência Internacional sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural é promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), em parceria com o governo brasileiro. O evento segue até sexta (10), na capital gaúcha.