O ministro da Fazenda, Pedro Malan, caracterizou há pouco a nova cédula de R$ 20 como uma forma de homenagem ao país, que tem hoje uma moeda “relativamente” estável. Malan destacou também que a nova nota foi produzida com os mais modernos critérios de segurança contra a falsificação, medida que é necessária para evitar prejuízos ao país.

O ministro participa no Palácio do Planalto do lançamento da nova cédula e antes de apresentá-la aos presentes fez um breve histórico, no qual lembrou que o presidente Fernando Henrique em 1993, quando ainda era ministro da Fazenda, assinou a permissão para liberar a terceira série da nota de 500 mil cruzeiros.

Malan ressaltou que, em julho de 1993, o salário mínimo era de 4.639.800,00 cruzeiros. O grande valor não expressava, entretanto, grande poder de compra, já que a inflação de 30% ao mês desvalorizava o mínimo. Malan destacou que os mais de 4 milhões de cruzeiros equivaliam a 65 URVs em 1994, quando o presidente Fernando Henrique lançou o Real “dando início ao processo de derrota da hiperinflação”.