Mais de 2,5 mil trabalhadores, ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), à Comissão Pastoral da Terra e ao Movimento Terra Trabalho e Liberdade, fazem uma manifestação pacífica na sede do Incra, em Recife. De acordo com o líder do MST Jaime Amorim, a idéia é lembrar os companheiros mortos há oito anos no confronto com a polícia em Eldorado dos Carajás, no Pará, e prosseguir na jornada de luta pela terra.

Depois da manifestação, eles se reúnem com o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, João Farias, e o assessor especial da presidência do Incra, Marcos Kowarick, para pedir agilidade no processo de desapropriação de áreas destinadas à reforma agrária.

Em seguida, o grupo segue para a Praça do Marco Zero, no bairro do Recife Antigo, onde faz ato público.