Com faixas e bandeiras, manifestantes que participam da Marcha contra a Corrupção e o Governo Lula estão concentrados em frente à Catedral de Brasília, na Esplanada dos Ministérios, e devem caminhar até o Congresso Nacional. A marcha é organizada pelo PSTU, P-SOL, PDT, PPS, e outras entidades sindicais como a Coordenação Nacional de Lutas (ConLutas).

Os participantes estão organizados em quatros setores. Dois deles pedem o fim da corrupção e o atendimento às reivindicações dos trabalhadores; os outros dois setores protestam contra as reformas propostas pelo governo e a política econômica.

O secretário da Executiva Nacional do PSOL, Martiniano Cavalcanti, diz que "as reformas sindical e trabalhista têm o propósito de desmantelar as organizações sindicais e acabar com os direitos trabalhistas através de uma política de flexibilização e desregulamentação das relações de trabalho".

Segundo ele, o principal objetivo da marcha é o combate à corrupção. "Queremos garantir um processo de apuração e punição e buscar uma saída para esta crise sob a ótica do interesse da maioria da população".