O secretário estadual de Turismo, Esporte e Lazer, Eduardo Paes, desautorizou nesta terça-feira (13) o Comitê Organizador dos Jogos Pan-Americanos do Rio (Co-Rio), a quem criticou por ter divulgado uma nota na qual libera o Estádio do Maracanã para ser utilizado em jogos do Campeonato Brasileiro apenas até o dia 20 de junho.

"Não cabe ao Co-Rio decidir mudanças no Maracanã, quem decide sou eu", afirmou Eduardo Paes, em Brasília, onde irá participar amanhã de um encontro sobre o Pan com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Em nota distribuída nesta terça-feira, o Co-Rio informou que a governadora Rosinha Garotinho, em 2006, lhe deu autorização para assumir o Maracanã a partir do dia 7 de maio para prepará-lo para o Pan. "Essa permissão foi dada antes e agora está sendo revista", disse Eduardo Paes.

A polêmica sobre a realização de partidas do Campeonato Brasileiro no Rio durante a disputa do Pan, que acontece entre os dias 13 e 29 de julho, começou quando o secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Fernando Corrêa, afirmou ser impossível ter futebol na cidade durante a disputa os Jogos, porque a ocorrência de dois eventos simultâneos atrapalharia o esquema de segurança da competição internacional.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a princípio, não se mostrou disposta a alterar a tabela do campeonato, "por não ter sido procurada oficialmente pelos organizadores do evento". Mas, nesta terça-feira, a entidade informou que continuará negociando para solucionar o impasse.

Eduardo Paes, no entanto, revelou ter se encontrado na segunda-feira com os presidente do Flamengo, Márcio Braga, e do Vasco, Eurico Miranda, além de representantes de Fluminense e Botafogo. Após a reunião, os dirigentes concordaram em pedir à CBF que as datas dos clássicos programados para o período do Pan sejam alteradas. Mas ainda persiste a incerteza em relação às demais rodadas.

Se prevalecer a decisão de o Co-Rio em assumir o controle do Maracanã a partir do dia 21 de junho, 18 jogos estão ameaçados de sofrerem mudanças. A medida, inclusive, pode atingir a três clubes paulistas, Corinthians, Santos e São Paulo, que enfrentariam Botafogo, Vasco e Flamengo, nos dias 24 de junho, 5 e 8 de julho, respectivamente.

Confira os jogos ameaçados:

24 de junho

Botafogo x Corinthians

Vasco x Flamengo

1º de julho

Fluminense x Botafogo

Flamengo x Juventude

4 de julho

Fluminense x Paraná

5 de julho

Vasco x Santos

6 de julho

Botafogo x Atlético-PR

7 de julho

Flamengo x São Paulo

14 de julho

Vasco x Atlético-PR

15 de julho

Fluminense x Flamengo

18 de julho

Botafogo x Vasco

Flamengo x Paraná

21 de julho

Fluminense x Goiás

Vasco x Atlético-MG

25 de julho

Botafogo x Juventude

26 de julho

Flamengo x América

28 de julho

Fluminense x Figueirense

29 de julho

Vasco x Goiás