O tráfego nas duas pistas, expressa e local, da Marginal do Pinheiros, sentido Castelo Branco, ficará interrompido durante todo o dia de hoje, por medida de segurança, e a interrupção pode prolongar-se amanhã. ?Em letras garrafais, as pessoas devem evitar a região a todo custo?, disse o gerente de Operações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Wlamir Lopes.

A pista expressa estava liberada até as 22h20 da noite de ontem, mas, após uma avaliação da Defesa Civil e da equipe de engenharia do Metrô, optou-se por fechar a via. ?Por ser fim de semana, haverá menos pessoas circulando e pedimos que o façam por rotas alternativas?, disse o gerente.

A CET citou, como medida de emergência – para as pessoas que precisam transitar pela região – usar as saídas da Juscelino Kubitschek, da Bandeirantes e da Cidade Jardim, seguindo por dentro pela Faria Lima, ou pela Avenida 23 de Maio. Vale ainda utilizar a Avenida Valdemar Ferreira, do outro lado do rio.

A interdição começa 150 metros após a Ponte Eusébio Matoso e segue por cerca de 1 quilômetro até a Rua Frederico Herman Júnior, a partir de onde já é possível retornar ao trecho liberado da Marginal liberada.

?Ainda assim, recomendamos que as pessoas utilizem outros trajetos?, disse Lopes. Os caminhões devem optar pelas Avenidas Ricardo Jafet, do Estado ou Jabaquara, que são grandes vias de escoamento.

Até que se tenha total segurança sobre as condições do local onde aconteceu o acidente, a Marginal deve permanecer interditada. ?O tempo (de duração da medida) vai depender da avaliação do Metrô, da Defesa Civil e da PM. O quanto eles julgarem oportuno por questões de segurança?, adiantou o presidente da companhia, Roberto Scaringela. A medida foi tomada para segurança dos motoristas e para evitar que a trepidação dos carros pudesse causar qualquer dano ao terreno. Os técnicos também temiam que o guindaste da obra tombasse na direção da pista.