O ex-chefe de Contratação dos Correios Maurício Marinho será ouvido novamente pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. O depoimento está marcado para quarta-feira.

Marinho foi o primeiro a depor na comissão e, na ocasião, apresentou uma lista de contratos da estatal que poderiam ter irregularidades. A divulgação de um vídeo onde o ex-funcionário recebe R$ 3 mil e fala sobre um esquema de corrupção na estatal envolvendo o PTB foi o que provocou o pedido de abertura da CPMI dos Correios.

Na próxima quarta-feira, antes de ouvir Marinho, os parlamentares devem fazer reunião administrativa para votar requerimentos. Hoje, não houve quorum suficiente para votar os pedidos de quebra de sigilo e convocações. Foram marcados também os próximos depoimentos nas sub-comissões na terça-feira.

Na de movimentação financeira serão ouvidos Rogério Tolentino, sócio do empresário Marcos Valério de Souza, e o procurador da Fazenda Nacional Glênio Guedes, que teria recebido dinheiro de Valério. Já na sub-relatoria de Contratos, estão marcados depoimentos de representantes da empresa Beta Brazilian Express Transportes Aéreos Ltda.

Durante reunião realizada hoje, o relator da CPMI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), disse que quer concluir a análise nos contratos dos Correios, especialmente os relacionados ao transporte aéreo noturno e a agências franqueadas.