A Secretaria do Estado da Educação do Paraná e Ministério da Educação (MEC) firmaram, esta semana, um convênio para a colaboração técnica, científica e pedagógica na implantação do Ensino Médio Integrado. A unificação dos ensinos médio e técnico já está acontecendo no Estado desde janeiro de 2004 e este convênio, do qual participam Santa Catarina e Espírito Santo, dará possibilidade de capacitar os professores e implantar em mais 118 escolas técnicas do Estado, além das 63 que já adotam funcionam integradas.

Segundo o diretor geral da Secretaria da Educação, Ricardo Bezerra, o Paraná é pioneiro no agrupamento dos cursos médio e profissionalizante, pois desde de janeiro de 2004, a partir de um parecer do Conselho Estadual de Educação foi possível fazer essa integração. E isso ocorreu antes do decreto federal regulamentando o assunto ? nº 5.154 ? e publicado em julho de 2004. “O convênio só veio oficializar um programa já adotado no Paraná, quando nos demais estados será implantado em 2005”, lembra o diretor-geral.

A chefe do departamento de Educação Profissional, Sandra Garcia, explica que o convênio vai possibilitar a capacitação dos professores que já atuam nos cursos integrados. “Nos vamos ajudar a construir as novas diretrizes curriculares dos cursos técnicos”, adiantou.

Na opinião de Bezerra, o ensino integrado dá aos alunos a oportunidade de obter a qualificação profissional tão necessária para disputar uma vaga no mercado de trabalho. “Antes, para obter uma formação profissional os jovens tinham que cursar o ensino médio em um turno e o técnico em outro ou então concluir o ensino médio para depois ingressar na fase profissional. Com o novo sistema, o aluno irá encerrar os dois cursos em três ou quatro anos e dependendo do curso, tudo será incorporado em uma mesma matrícula, período e currículo”, ressaltou.

Segundo Sandra, a ampliação da oferta dos cursos integrados será priorizada para as 118 escolas estaduais que hoje ensinam apenas os cursos técnicos. “Nessas escolas a estrutura já existe, ou seja, não é necessário construir laboratórios”, reforçou e lembrou, ainda, que “os cursos apenas técnicos, chamados de pós-médio continuarão em funcionamento normal atendendo as pessoas que já fizeram o ensino médio e não tiveram oportunidade de fazer o curso técnico”.

No Paraná funcionam 45 cursos técnicos de Magistério, 13 de escolas agrícolas com agropecuária e agroecologia – uma florestal, quatro Centros Estaduais de Educação Profissional e Colégio Estadual do Paraná, com gestão de negócios, informática, edificações, comunicação, entre outros.