Brasília – O Ministério da Educação já começou a campanha nacional de conscientização sobre o cuidado com os livros didáticos. Neste ano, o MEC distribuiu cerca de 119 milhões de livros para os alunos do ensino fundamental, nas disciplinas matemática, português, história, geografia e ciências, além de dicionários e obras para alfabetização.

Agora, o objetivo da campanha é chamar atenção para a importância do cuidado com o livro dentro da sala de aula. O aluno é orientado para que não rasgue e nem escreva no livro. De acordo com a coordenadora de Produção e Distribuição do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC), Sônia Coelho, a intenção é fazer com que o livro didático dure, pelo menos, três anos dentro da escola.

?É claro que a gente sabe que tem de haver uma reposição, porque alguns livros acabam extraviando, outros estragando. Por isso temos um percentual, que a gente manda, de complementação dos livros, que nós já entregamos nos anos anteriores, que tem de ser previsto para um programa desse tamanho?, explicou a coordenadora.

Aluna da quinta série do ensino fundamental do Centro de Ensino Número 1, na cidade satélite do Núcleo Bandeirante (15 km de Brasília), Juliana Mendes já aprendeu a lição. Quando começam as aulas, ela encapa todos os livros com a ajuda da mãe e cuida para que eles possam ser usados por outros alunos no ano seguinte. ?É importante não rasgar, não escrever no livro, conservar para as outras pessoas que vão usar no ano que vem, porque nem sempre a gente tem um livro novo?, afirma a estudante.

Além da propaganda, o MEC vai realizar um concurso para escolher o estudante que melhor cuidou do livro durante o ano letivo.