O mercado de gás natural veicular (GNV) no Paraná cresceu 20,3% desde o início do ano. A média diária de vendas da Companhia Paranaense de Gás (Compagas) para o segmento GNV pulou de 45,3 mil m³/dia em janeiro para 54,5 mil m³/dia em agosto. O índice é bem maior do que o do consumo da gasolina que, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), aumentou 8,3% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. “O GNV é o único combustível que não tem aumento de preços desde maio do ano passado e esse equilíbrio está se refletindo no aumento do consumo”, diz o diretor presidente da Compagas, Rubico Camargo.

Enquanto o preço da gasolina teve variações de R$ 1,90 a R$ 2,30 o litro e o álcool de R$ 0,90 a R$ 1,35 o litro, em Curitiba, o GNV se mantém na média de R$ 1,19 o m³ o preço de venda nos 16 postos que oferecem o combustível na cidade. Com isso, o número de carros convertidos, que em janeiro era cerca de 10 mil, hoje está em 12,5 mil, segundo dados do Sindirepa ? PR (sindicato das oficinas reparadoras de veículos, que inclui as 19 oficinas convertedoras para GNV). “Somado à economia na manutenção do automóvel, a economia com o GNV chega hoje a 60% em relação à gasolina e 40% em relação ao álcool”, afirma o diretor do Sindirepa Wilson Bill. “Por isso, o número de carros convertidos vem aumentando”.

Os carros convertidos para GNV ficam bicombustíveis, ou seja, podem rodar tanto com o combustível original (gasolina ou álcool) quanto com o gás natural. Mas a maioria dos motoristas têm preferido utilizar o mínimo possível o combustível líquido. “Já me acostumei tanto a utilizar só o GNV que às vezes nem sei o preço da gasolina”, diz o empresário Marcos Carvalho dos Santos. Há três anos ele converteu o primeiro carro da sua empresa, o Centro de Formação de Condutores Kennedy, para GNV. Hoje, são três veículos convertidos e Santos comemora a economia anual: R$ 15 mil. “Que empresário pode dizer que tira todo ano, limpo, R$ 15 mil só em economia com combustível?”, comenta. Os veículos convertidos são utilizados tanto para aulas práticas e testes dos alunos do Detran quanto para viagens para Santa Catarina e para o litoral do Paraná. “Vou às praias do Paraná e volto gastando menos de R$ 20,00”.