O meia Kaká, estrela do Milan e autor dos dois gols na derrota para o Manchester United, por 3 a 2, no 1.º jogo de ida das semifinais da Liga dos Campeões, disse que a recuperação será um grande desafio, mas que a equipe italiana tem condições de avançar.

"É difícil reverter a vantagem. Mas para vencer o Manchester basta jogarmos como no primeiro tempo lá no Old Trafford [o Milan foi para os vestiários com o placar de 2 a 1 a favor], com personalidade e confiança", comentou o brasileiro.

Kaká destacou que sua equipe errou muito no segundo tempo, depois de ir para o intervalo com a vantagem: "Aí ficamos com medo e fomos castigados".

"O Manchester é um time forte, com um contra-ataque veloz, tem atacantes que se movimentam muito bem, além de ser um grupo jovem. Mas desta vez jogamos em casa e podemos conseguir a classificação", afirmou.

Nada de Real Madrid

O brasileiro continua sendo o principal jogador que o presidente do Real Madrid, Ramón Calderón, quer contratar, embora seu companheiro de time Ronaldo tenha afirmado "não existir nenhuma possibilidade de Kaká deixar o clube italiano".

Ronaldo ainda disse que contou para Kaká "algumas coisas" sobre o técnico do Real, o italiano Fabio Capello, com o qual teve algumas discussões.