Brasília – O Comando da Aeronáutica continua as buscas no local onde caiu o avião da companhia aérea Gol. De acordo com a nota divulgada nesta quarta-feira (18), a Força Aérea Brasileira (FAB) e o Exército afirmam que não iniciaram nenhum tipo de desmobilização, mesmo diante da dificuldade de encontrar os corpos das últimas vítimas e do cilindro de voz da caixa-preta do avião.

A operação de resgate envolve 376 militares. Destes, 156 atuam diretamente na fazenda Jarinã, base da operação, e no local das buscas. De acordo com a Aeronáutica, amanhã (19) será ampliado o uso de detectores de metais, que auxiliam na procura pelo cilindro.

Os corpos das outras 152 vítimas já foram encontrados e identificados pelos Institutos de Identificação (II) e de Medicina Legal (IML) do Distrito Federal. Também estão sendo recolhidos destroços que possam auxiliar nas investigações sobre as causas do acidente.

O Boeing da Gol caiu em área de floresta no norte de Mato Grosso depois de colidir com um jato executivo Legacy, fabricado pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer). As 154 pessoas que estavam no Boeing morreram. Os pilotos do jato fizeram um pouso de emergência e nenhum dos sete ocupantes ficou ferido.