Cerca de trezentos homens dos 1.800 militares que irão fazer a segurança do papa Bento XVI em Aparecida de 11 a 13 de maio já estão na cidade e o restante deve chegar nesta segunda-feira (7) para novos treinamentos. Em pequenos comboios, eles seguem de Caçapava para Aparecida pela via Dutra.

Na manhã de ontem, em Caçapava, cerca de mil militares das tropas do Exército de Caçapava, Pindamonhangaba, Lorena, Taubaté Goiânia (GO) e Rio de Janeiro, se apresentaram ao 12º Batalhão de Infantaria Leve e receberam as últimas recomendações. A Operação Arcanjo terá 3.600 homens, sendo 1.800 militares e o restante policiais federais, civis, rodoviários e militares. Os lugares por onde Bento XVI vai passar serão vistoriados anteriormente pelo Destacamento de Defesa Química e Nuclear do Rio de Janeiro.

De acordo com o general-de-brigada Floriano Peixoto Vieira Neto, a presença dos homens do Exército não pode inibir as manifestações de carinho e afeto do grande público. "Deve haver um equilíbrio. As pessoas vão poder manifestar o carinho pelo papa e estamos pedindo que os militares ajam com gentileza e ponderação."

Dos onze percursos que o papa fará entre o Santuário Nacional, o seminário e as cidades de Guaratinguetá e Potim, sete serão no papa-móvel e o restante em um carro blindado, onde a população não poderá ver o pontífice. Em todos os trajetos, 15 viaturas e quatro helicópteros do Exército vão fazer a escolta, além de 25 homens e os soldados da Guarda Suíça. Todo trajeto será fechado com grades e a população poderá ficar apenas nas calçadas.