Os atrasos e cancelamentos de vôos registrados nos últimos dias nos principais aeroportos do país motivaram o governo a criar nesta quinta-feira (22) um grupo responsável pelo gerenciamento da crise aérea A informação foi dada pelo ministro da Defesa, Waldir Pires, depois de se reunir, durante mais de duas horas, com autoridades do setor.

Segundo o ministro, o objetivo do grupo é aprofundar a gestão dos problemas de infra-estrutura, que vêm de décadas.

Com a criação do grupo, uma espécie de comitê gerenciador da crise, os órgãos responsáveis pelo setor aéreo passarão a se reunir semanalmente. Dessa forma, o Ministério da Defesa pretende integrar, de forma efetiva, suas ações e as desenvolvidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea). O ministro Waldir Pires, no entanto, reconheceu que não há novidades em relação ao que já vem sendo feito.

De acordo com Pires, os problemas do setor estão sendo vencidos, mas precisam de acompanhamento permanente. O objetivo do grupo é gerenciar permanentemente o transporte aéreo, com o propósito de cancelar todas as dificuldades que temos vivido. A luta é para conseguirmos um transporte aéreo cada vez melhor, explicou o ministro.

Perguntado exclusivamente sobre os resultados da reunião de hoje o ministro não quis falar sobre os problemas verificados no último fim de semana no Cindacta 1 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo).