O Ministério da Justiça vai colaborar com as investigações da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. Nesta sexta-feira, a secretária Nacional de Justiça Cláudia Chagas se reuniu com o presidente da comissão, senador Delcídio Amaral (PT-MS), e integrantes da CPMI. De acordo com Delcídio, a idéia é buscar cooperação para rastrear contas no exterior.

"A partir de informações que já prestadas em depoimentos, e de documentos já recebidos pela própria CPI, nós vamos procurar solicitar a cooperação de outros países para realmente verificar a existência de contas, de depósitos, fazer esse rastreamento e possivelmente no futuro, pedir o bloqueio", explicou Claudia Chagas.

Nesta quinta-feira, em depoimento à CPMI, o publicitário Duda Mendonça, disse que abriu uma conta nas Bahamas para receber dinheiro de uma dívida do PT referente à campanha eleitoral de 2002. Segundo Duda, foram transferidos para fora do país mais de R$ 10 milhões.

"A partir dessa conta do publicitário Duda Mendonça queremos descobrir ou rastrear todas as outras contas que alimentaram essas contas apresentadas pelo publicitário", afirmou Delcídio Amaral. A intenção, segundo ele, é ao longo dos próximos dias tomar uma série de providências para garantir a parceria com o Ministério da Justiça.

Segundo a secretária Nacional de Justiça, se o dinheiro for de origem ilícita, o governo brasileiro vai se empenhar para recuperá-lo. "Agora, é preciso antes esclarecer qual a origem desse dinheiro, se a origem é ilícita ou não e depois trabalhar com bloqueio e repatriação", afirmou.