Brasília ? Um acordo envolvendo cinco ministérios foi assinado hoje (28) em Brasília para estimular ações voltadas à agroecologia. Representantes dos ministérios da Agricultura, Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Social, Educação e Meio Ambiente ficarão responsáveis por desenvolver ações para a área de produção agrícola sem o uso de agrotóxicos e pela inclusão do tema no sistema de ensino no país.

Para o ministro da educação, Fernando Haddad, essa é a oportunidade de potencializar o ensino voltado para a produção orgânica. "Se nós usarmos a educação para que as famílias do campo conheçam essa forma de agricultura e possam desenvolver projetos aliando viabilidade econômica com produção de alimentos sem agrotóxicos, vamos oferecer uma alternativa que nem sempre esta disponível por falta de conhecimento mais apurado em torno da questão", avalia Haddad.

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, acredita que o trabalho conjunto entre os ministérios contribuirá para o processo de regulamentação da lei dos orgânicos, que estabelece os padrões de qualidade para o produto orgânico brasileiro e deve ser assinada pelo presidente Lula na próxima semana. "Essa lei dá uma definição muito importante para a agricultura brasileira. Ela traz a normatização, as regras para a produção, define que tipos de produtos podem ser produzidos nessa área, além das normas de comércio para exportação e importação", conta Rodrigues.

Segundo a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o mercado de produtos orgânicos tem um potencial de crescimento muito grande que pode impulsionar o setor, gerando oportunidades para os pequenos produtores. "Na medida em que você tem mais assistência técnica e tecnologia apropriada para a produção, os produtores vão cada vez mais melhorando suas práticas agrícolas. Você tem uma maior produtividade e com isso uma redução nos custos e um aumento da procura pelos alimentos orgânicos", diz a ministra.

Dados do Ministério da Agricultura mostram que no Brasil cerca de 15 mil produtores cultivam produtos orgânicos. A área plantada é estimada em torno de 800 mil hectares. Entre os alimentos mais cultivados estão hortaliças, café, cana de açúcar e frutas.