Brasília – A ministra no Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira (30) que apesar de não haver definição sobre o novo presidente do Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturáveis Renováveis (Ibama), o órgão não está acéfalo (sem cabeça).

Na semana passada, o Ibama foi desmembrado, com a criação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, autarquia federal responsável por executar ações da política nacional de unidades de conservação da natureza.

Já o Ibama manterá suas atribuições de fiscalização, autorização do uso de recursos naturais e licenciamento ambiental. De acordo com Marina Silva, o atual presidente do órgão permanece na função até que seja escolhido o substituto.

?Não está acéfalo porque o presidente Marcus Barros ainda está à frente do Ibama, no momento oportuno será feita a substituição, a pedido do próprio presidente do Ibama – eu quero dizer isso reiteradas vezes – que tinha o compromisso de ficar durante essa gestão?, explicou Marina Silva, após solenidade no Ministério do Meio Ambiente.

Segundo a ministra, Barros pediu para deixar o cargo para voltar a dar aulas em universidades.