O forte investimento do governo Luiz Inácio Lula da Silva na criação de cargos e treinamento de pessoal da Polícia Federal, com incorporação de modernos métodos de investigação, proporcionou um salto qualitativo e quantitativo muito grande na corporação, que resultou em 150 operações especiais e apreensão de 320 toneladas de drogas.

A avaliação foi feita, nesta quarta-feira, pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, durante exposição sobre segurança pública na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, realizada no Palácio do Planalto.

Márcio Thomaz Bastos ressaltou a importância da atuação integrada da Polícia Federal com as polícias regionais para desvendar a interligação entre quadrilhas, o que levou às barras da Justiça "muita gente que se considerava imune".

Segundo o ministro, muito mais ainda poderá ser feito no combate à criminalidade, com a efetiva operação da rede de laboratórios de DNA que está sendo montada no país, e que terá importância fundamental nas investigações de autoria dos crimes, uma vez que o "grau de certeza" das provas é muito grande.

Bastos destacou que também está em desenvolvimento um sistema de identificação criminal automatizado, para estoque de alguns milhões de impressões digitais, centralizado na Polícia Federal. Ele ressaltou, entretanto, que o sistema será estendido a todas as secretarias estaduais de segurança pública, num "esforço de cooperação federativa".