O ministro da Economia espanhol, Rodrigo Rato, que tem o apoio brasileiro para a sucessão no cargo de diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), é um dos nomes cogitados para a vaga. A diretoria-executiva do FMI se reuniu informalmente na manhã de hoje para discutir os próximos passos da candidatura e informou que ainda esta semana Rato e seu concorrente ao cargo, Mohamed El-Erian serão recebidos na instituição.

O convite ao egípcio-francês Mohamed El-Erian, que já trabalhou para o Fundo, e ao espanhol Rodrigo Rato foi feito pela própria diretoria-executiva. A expectativa do FMI é que as candidaturas sejam apresentadas na próxima semana.

No início do lançamento da candidatura, cinco nomes foram indicados para o cargo de diretor-gerente do FMI. Desses, três retiraram as candidaturas e dois mantiveram, Rodrigo Rato e Mohamed El-Erian.

A carta de apoio à candidatura de Rato pelo Brasil e outros 14 países latino-americanos foi assinada durante uma reunião do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Lima, no Peru. O documento foi enviado ao ministro da Irlanda, Charlie McCreevy, pedindo que a União Européia indicasse o nome do ministro espanhol ao cargo.