O ministro de Minas e Energia, Silas Rodeau, defendeu nesta quinta-feira (22) que a construção da Usina Angra 3. Ele informou que vai votar a favor da construção do empreendimento na reunião do Conselho de Política Energética, marcada para terça-feira (27). "Você quer saber qual o meu voto? É a favor", afirmou o ministro, depois de participar de audiência pública no Senado Federal.

Em resposta ao senador Francisco Dornelles (PP-RJ) sobre a situação de Angra 3, o ministro disse que o governo não "oscila" em relação definição da usina. Ele explicou que a discussão é baseada no preço da energia que chegará ao consumidor e que, até agora, esse preço não havia se mostrado viável.

Segundo Rondeau, atualmente o custo da energia a ser gerada pela usina nuclear já está em um patamar competitivo. "Vários estudos foram feitos neste governo no sentido de refazer as questões que fossem adequadas para que se chegasse ao preço competitivo. Posso assegurar que hoje o seu custo de referência já está próximo do custo de geração, por exemplo, de carvão mineral. Portanto, voltamos a conversar sobre a questão de Angra 3".

O ministro informou ainda que, caso a decisão de construir Angra 3 seja tomada agora, a energia produzida poderá ser usada a partir de 2013 ou 2014.

De acordo com Rondeau, o presidente da República coordena uma discussão sobre a construção da usina com a participação de outros ministérios, como o da Defesa e o de Ciência e Tecnologia.