Rio de Janeiro – Acaba de partir para o Líbano a missão humanitária que o governo brasileiro decidiu enviar com 2,5 toneladas de medicamentos. O avião C-130 (Hércules) da Força Aérea Brasileira (FAB) deve chegar a Beirute, a capital libanesa, na terça-feira (15), depois de escalas em São Paulo e em Natal (hoje, 11), nas Ilhas Canárias (amanhã) e na Turquia (domingo ou segunda-feira).

Além dos remédios ? suficientes para o atendimento emergencial de 145 mil pessoas, segundo a assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) ?, a aeronave levará colchões, cobertores e alimentos.

Um dos pilotos da missão, o major Luiz Márcio Pereira Dias, conta que a aeronave brasileira será a terceira estrangeira a pousar no aeroporto internacional de Beirute desde o início do conflito entre Israel e o grupo armado Hizbollah. A pista foi recapeada, após ser destruída pelo exército israelense. O Hércules é um avião de grande porte e apto a pouso em pistas precárias e estreitas.

?A expectativa é grande?, comenta o piloto Dias. ?Me sinto orgulhoso pelo caráter da missão ? ajudar as pessoas é a melhor coisa que tem ?, mas, por um certo ponto, apreensivo. Guerra é guerra.? O major conclui: ?O ministro [Celso Amorim, das Relações Exteriores] está com a gente e a missão vai ser um sucesso?.

Amorim embarcará no avião da FAB na Turquia e seguirá com a tripulação para o Líbano. Lá, deve fazer a entrega do material e tem reunião marcada com o presidente do país, Emile Lahoud.

Desde o início do conflito, em 12 de julho, a estimativa da Organização das Nações Unidas (ONU) é que 900 mil pessoas tenham sido deslocadas de suas casas e 700 mil  permaneçam no Líbano. A Síria, principal destino dos refugiados, já recebeu cerca de 160 mil libaneses, e cerca de 1,5 mil pessoas cruzam diariamente a fronteira entre os dois países à procura de abrigo ? ainda segundo a ONU.