Gestores do Programa Apoio Direito aos Mais Pobres (Juntos), do governo do Peru, reuniram-se nessa segunda-feira (6) com dirigentes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) para conhecer detalhes dos programas sociais brasileiros, principalmente o Bolsa Família. A visita dos peruanos, promovida pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), visa à troca de informações entre os dois países e à formalização de um acordo de intercâmbio na área social.

O diretor-executivo do Juntos, Alejandro Jimenez Morales, o gerente legal, Pablo Tarazona Vivar, e o chefe das oficinas regionais do programa, Walter Benavente, integram a equipe que visita o Brasil. Uma das ações do programa Juntos é a transferência de US$ 30, por meio de cartão magnético, às mães com crianças de até 14 anos e às gestantes.

Os representantes do governo peruano reuniram-se com a secretária-executiva do MDS, Márcia Lopes, e com o secretário de Avaliação e Gestão da Informação do ministério, Rômulo Paes. Nesta terça-feira, encontram-se com a assessora do programa Fome Zero Adriana Aranha e com a secretária nacional de Renda de Cidadania, Rosani Cunha.

Márcia Lopes explicou que a descentralização das ações e a participação da sociedade têm sido pontos centrais no desenvolvimento das políticas sociais no Brasil. Destacou ainda a implementação do Sistema Único de Assistência Social (Suas), que cria um padrão de rede de proteção social com foco na família. A secretária lembrou que o governo repassa recursos para o funcionamento de dois mil centros de Referência da Assistência Social (Cras), também conhecidos com Casas das Famílias, em todo o país.