O presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Dom Tomaz Balduíno, disse hoje à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Congresso Nacional que houve um aumento considerável do número de casos de assassinato no campo no primeiro ano de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na opinião de Dom Tomás, o aumento do número de crimes ocorreu porque o Executivo não reprime os movimentos sociais. “O aumento considerável dos assassinatos neste primeiro ano do governo Lula mostra bem que, quando o Executivo não reprime os movimentos sociais, como é costume em nosso país, o poder privado do latifúndio se encarrega de fazê-lo”, afirmou.

De acordo com Dom Tomaz, em 2003, foram mortos 73 trabalhadores rurais em decorrência da luta pela posse da terra no Brasil.