O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro divulga nesta manhã novos
detalhes da investigação da força-tarefa e da denúncia contra fiscais do
Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acusados de fraudar cerca de R$ 3
bilhões da Receita Previdenciária.

Os procuradores da República, Fábio
Aragão e Vinícius Panetto, responsáveis pela investigação que originou a
operação Ajuste Fiscal, vão comentar fatos como o vazamento de um documento
sigiloso da força-tarefa para os acusados antes das prisões e uma comprovada
ligação entre Arnaldo da Costa e políticos.

Às 14 horas, o juiz Flávio
Roberto de Souza, da Justiça Federal, ouve quatro dos principais acusados:
Antônio Vinícius Monteiro, Arnaldo Carvalho da Costa, Francisco Cruz (vulgo
Chicão)e Paulinéa de Almeida, de 72 anos. Os procuradores Fábio Aragão e
Vinicius Panetto acompanham o interrogatório.