O Ministério da Saúde apresentou, nesta quarta-feira, um projeto para integrar as informações do histórico de saúde dos pacientes nos hospitais federais de todo o Brasil, durante o 1º Encontro de Arquivos Médicos: políticas, práticas e inovações, que vai até sexta-feira, no Rio de Janeiro.

Segundo a coordenadora de arquivo e gestão de documentos do Ministério, Selma Duboc, "o objetivo é facilitar a recuperação das informações em cada unidade hospitalar". Ela afirma que, em geral, o acesso aos dados é muito ruim nos hospitais. Para ela, um dos benefícios dessa iniciativa será o de possibilitar um atendimento mais completo e eficiente, através da criação do prontuário eletrônico, considerado o principal documento no atendimento médico.

"A questão da informação é vital em qualquer instituição. Este projeto, incluindo o prontuário eletrônico que vai conter todo o histórico de saúde do paciente, vai beneficiar o interessado final, o cidadão, o profissional de saúde, que vai poder oferecer um melhor atendimento, e os gestores hospitalares, que serão capazes de agilizar e melhorar as tomadas de decisão", disse.

Para viabilizar a implantação do projeto na rede de saúde federal, será desenvolvida, de setembro até dezembro, uma apuração da situação atual nas unidades hospitalares, no que diz respeito aos arquivos de dados, além das necessidades de custo e de recursos humanos. "Após esse levantamento, será desenhado o funcionamento de todo o projeto. Se tudo der certo, pretendemos expandir também para os hospitais do Sistema Único de Saúde nas esferas estadual e municipal."