Uma van atravessou um cruzamento, atingindo pedestres numa área cheia de turistas em Kyoto nesta quinta-feira, matando oito pessoas e deixando outras oito feridas. O acidente aconteceu numa área do oeste da cidade que estava cheia de turistas e de pessoas que foram ver as flores das cerejeiras.

Integrantes de equipes de resgate e testemunhas disseram que a van passou pelo semáforo e entrou no principal cruzamento do distrito de Gion, atingindo pedestres e quebrando um poste antes de parar. Imagens de televisão mostram poças de sangue e pertences espalhados pelo chão, enquanto os paramédicos cuidavam dos feridos.

O motorista de 30 anos e sete pedestres morreram, informou o porta-voz da prefeitura de Kyoto, Akira Koga. Oito pessoas ficaram feridas, dentre elas várias em estado grave. Não havia passageiros na van, informou Koga.

A agência de notícias Kyodo disse que muitos dos mortos e feridos eram japoneses que visitavam a cidade. A causa do acidente ainda está sob investigação. Segundo a emissora de televisão NHK, uma irmã do motorista disse que ele sofria de uma doença parecida com epilepsia e que os médicos o haviam advertido para não dirigir.

Nos últimos tempos, o Japão tem registrado uma série de acidentes com motoristas que têm epilepsia, uma doença que causa convulsões.

Em dezembro, um tribunal sentenciou um homem a mais de sete anos de prisão por ter atropelado e matado seis crianças, em Tochigi, perto de Tóquio, ao ter um ataque epilético. Ele operava um guindaste e não estava tomando medicação para a doença.

Pessoas com epilepsia costumam ser discriminadas no Japão e geralmente escondem o problema, mesmo quando vão tirar carteira de habilitação. No Japão, pessoas com esse problema são proibidas de dirigir, a menos que autoridades médicas atestem que elas não tiveram ataques nos dois anos anteriores e que a doença está sob controle.

A Associação Japonesa de Epilepsia pediu nesta semana ao ministro da Justiça e ao presidente da Comissão Nacional de Saúde Pública que busquem formas de eliminar o preconceito contra pacientes epiléticos e tomem medidas efetivas para sensibilizá-los sobre os perigos representados quando eles dirigem veículos. Segundo a associação, cerca de 1 milhão de japoneses têm epilepsia. As informações são da Associated Press.