Diversos acidentes mataram 36 pessoas e deixaram 800 feridas no Chile durante os quatro dias de comemorações do bicentenário da independência nacional. Um relatório apresentado hoje pelo general de polícia Claudio Veloso concluiu que, ao longo do feriado, iniciado ao meio-dia de sexta-feira e que se estendeu até ontem, foram registrados dois acidentes graves. Os pedestres, porém, foram os que mais sofreram as consequências dos festejos. Muitos deles estavam bêbados.

A polícia realizou uma grande campanha de prevenção. As festas, como é tradicional durante os dias de aniversário da nação, foram realizadas em ramadas – galpões públicos com música, em que se dança e são vendidos pratos típicos chilenos.

O bicentenário esteve marcado também por atos oficiais e pela visita dos presidentes de Argentina, Bolívia e Paraguai. A estimativa é a de que 1 milhão de pessoas tenham aproveitado o feriado prolongado para viajar para a costa ou para o interior do país. O retorno em massa causou um grande congestionamento na noite de ontem nas rodovias que seguem até a capital, Santiago.