Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker mostrou otimismo em entrevista veiculada nesta segunda-feira pela emissora France 24 sobre a possibilidade de um acordo entre o Reino Unido e a União Europeia para a saída do país do bloco. “Nós teremos um acordo com nossos amigos britânicos e ele deve ser concluído nas próximas semanas”, afirmou ele.

Juncker afirmou que um acordo “precisa ser feito”, já que uma saída desordenada seria algo “catastrófico”. A retirada britânica, de qualquer modo, é uma “tragédia” em si, disse.

A autoridade ainda comentou que defende o diálogo entre a UE e a Rússia. Segundo ele, esses contatos podem contribuir para um entendimento entre as partes, mas por ora as sanções seguem em vigor, por causa do comportamento russo ao anexar a Crimeia e intervir no leste da Ucrânia.

Ainda para Juncker, um eventual Exército europeu não seria um problema. Ele falou sobre o tema após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticar a possibilidade e pedir que a Europa pague mais por sua presença na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Juncker enfatizou que um Exército do continente estaria alinhado com as forças da Otan e que isso seria inclusive um ganho para os EUA. Além disso, lembrou que os europeus têm gastado mais em defesa.